O que o triste caso da blogueira que se casou sozinha nos explica sobre o atual momento? Por Vânia Figueira

O caso da blogueira Alinne Araújo que se suicidou, após ter sido abandonada pelo noivo na véspera de seu casamento e, em decorrência criticada por seus seguidores nas redes sociais por ter tomado a decisão de realizar o casamento mesmo sem o noivo e não perder a festa, chocou o Brasil e me levou a muitas reflexões sobre esse momento tão importante na vida de uma mulher.

Durante todos esses anos em que trabalho com o universo de festas e casamentos, vejo sempre o brilho nos olhos da noiva, que planeja um dia perfeito, de princesa e de muita alegria para todos presentes.

Ela passa dias, meses e até anos, planejando cada detalhe para que tudo saia do jeitinho que sempre sonhou e, quando vai chegando mais perto do grande dia, a ansiedade e o friozinho na barriga começa tomar conta e a torna ainda mais sensível e sentimental.

No triste caso da Alinne, ao que parece, a mistura de bons sentimentos foram surpreendidos pela decepção do fim do relacionamento à véspera do grande dia, mas como ela mesma citou em um depoimento em sua rede social, não deixaria se abalar por isso e curtiria a festa mesmo assim.

Ela teve uma atitude incrível, tentou dar a volta por cima, sua iniciativa naquele instante combinou com o perfil da mulher empoderada, inclusive a mídia tem noticiado casos de casamentos sologâmicos – como chamam esse tipo de celebração – tanto no Brasil como no exterior, como uma forma da mulher decidida celebrar seu amor próprio.

O desfecho seria muito menos doloroso se não fosse tão julgada por sua decisão na esfera digital, toda exposição trouxe vulnerabilidade por conta das agressões psicológicas que sofreu.

Vemos que no ambiente digital falta empatia e sonoridade para com as pessoas, principalmente quando elas estão passando por momentos difíceis como este, nunca sabemos como elas irão reagir e qual sentimento a nossa palavra vai despertar nela.

Este caso me tocou de uma forma muito triste porque lido com sonhos diariamente e ver alguém tão jovem e sonhadora partir desta forma me fez refletir sobre a importância e o poder das palavras. O infeliz caso não pode ser silenciado, temos de discutir em todas as esferas por um mundo com mais amor.

Vânia Figueira é especialista em casamento e diretora da Chácara & Buffet Recanto dos Sonhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.